Terug naar site

Novembro registra aumento de 20% nos casos confirmados de COVID-19 nas prisões do Mato Grosso do Sul

Infovírus

· De olho no painel

Segundo os boletins da Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário do Mato Grosso do Sul (Agepen), de 30 de outubro a 30 de novembro, foram registrados 604 novos novos casos de contaminação pelo novo coronavírus entre detentos, o que significa um aumento em 20% nos casos confirmados. Os boletins publicados pela secretaria não informam a quantidade de testes aplicados, nem as unidades prisionais em que se encontram os apenados que testaram positivo para o vírus.

 

Até 8 de dezembro, a secretaria de administração penitenciária do estado registra dois óbitos oficiais por COVID-19 e 3.796 casos entre a população privada de liberdade no estado.


O Painel do Departamento Penitenciário Nacional (Depen) registra números diferentes: são 3.539 casos de contaminação e três mortes causadas pela COVID-19.


O Mato Grosso do Sul é o terceiro estado com maior número de casos confirmados de COVID-19 no sistema carcerário brasileiro. Apesar de ser um dos estados que mais concentra casos positivos entre a população prisional, o Mato Grosso do Sul é o 12º estado com maior população carcerária.


Mesmo diante do aumento no número de casos confirmados de COVID-19 entre detentos, a Agepen declarou em nota que as ações realizadas nos presídios de Mato Grosso do Sul “têm feito a diferença na prevenção e efetivo combate e mitigação dos efeitos da pandemia do coronavírus no ambiente carcerário”.


Enquanto a Secretaria de Administração Penitenciária alega o controle e a eficiência das medidas adotadas, o salto no número de casos confirmados mostra o contrário. A gestão sigilosa e intransparente dos dados sobre a pandemia no Mato Grosso do Sul tem sido responsável por naturalizar os danos às pessoas privadas de liberdade no estado.